Estudo de caso: Land Transport Authority

Ceramicsteel cria a arte de Singapura nas estações de metrô de toda a ilha


Pegue o metrô em Singapura e surpreenda-se com o que você verá. Globos de discotecas transformados em gotas de chuva, esculturas 3D, pinturas decorativas com 10 metros de comprimento e talvez até uma fotografia de alguém que você conheça. Em 1997, o maior programa de arte pública de Singapura foi lançado no lugar mais improvável: estações de metrô.

Com obras de artistas de Singapura, o grupo responsável pelo sistema de transportes, Land Transport Authority (LTA), iniciou o programa Art in Transit (AIT) com o objetivo de dar uma identidade única a cada estação de metrô. Uma identidade única que remete aos bairros próximos, oferecendo a quem passa um senso de localização e orientação, além de criar diálogo na comunidade local. Eileen Goh, gerente assistente, descreve o programa AIT como uma "excelente plataforma para se conectar à comunidade e mostrar os talentos dos singapurenses ao mundo por meio de uma exposição permanente de criatividade e talento da população local." Esse programa de sucesso tem mudado a cara das estações de metrô em toda a ilha há mais de 20 anos, e não há sinais de que isso vai parar.

CeramicSteel combina arquitetura e arte

O programa AIT é uma mistura ideal de construção de larga escala e artesanato. Diversos componentes precisam se juntar para garantir as necessidades técnicas, econômicas e de segurança de cada estação. Ao adquirir materiais para as obras de arte, diversos requisitos surgem. Eles devem ser duráveis e de fácil manutenção, já que são expostos a milhões de pessoas por dia. Eles também devem ser esteticamente agradáveis, permitindo que a obra de arte tenha destaque enquanto oferece uma representação perfeita da peça com fluidez e cores vivas.

CeramicSteel da PolyVision atende a todos os requisitos. Painéis de esmalte vítreo leve, também conhecidos como porcelana, proporcionam uma imagem impecável e mostram as complexidades da arte detalhada. CeramicSteel não desbota, e é a solução perfeita para arquitetura permanente. O desempenho positivo do produto ao longo dos anos criou um forte relacionamento entre a PolyVision e a LTA. Ronald Lee, representante da PolyVision em Singapura, observa que o relacionamento entre a LTA e a PolyVision vem do início do programa até hoje. "É um longo relacionamento, pois fomos contratados para duas das 16 estações na linha norte-leste quando o programa foi iniciado: as estações Potong Pasir e Boon Keng."

Um produto de qualidade com propriedades excelentes para ambientes de tráfego intenso, CeramicSteel é usado em diversas linhas de metrô da LTA, e não apenas onde há arte em exposição. Elementos arquitetônicos e paredes acompanham as obras de arte, acrescentando dimensão por toda a estação. De uma das primeiras estações, a Boon Keng, a uma das mais recentes, a estação Expo, grandes painéis modulares acrescentam um elemento de grandeza às estações e dão destaque à arte encomendada.

Boon Keng, uma das duas primeiras estações, foi concluída em 2000 com painéis de CeramicSteel, acrescentando profundidade aos elementos arquitetônicos.

Boon Keng, uma das duas primeiras estações, foi concluída em 2000 com painéis de CeramicSteel, acrescentando profundidade aos elementos arquitetônicos.

A entrada da estação central Tampines é aprimorada com paredes arquitetônicas feitas de grandes painéis de CeramicSteel para criar uma atmosfera ampla e acolhedora.

Expo Stations é uma das instalações mais recentes do programa AIT. Os painéis de CeramicSteel azuis criam um pano de fundo lindo e suave que coloca a arte em primeiro plano.

Expo Stations é uma das instalações mais recentes do programa AIT. Os painéis de CeramicSteel azuis criam um pano de fundo lindo e suave que coloca a arte em primeiro plano.

O processo, dos conceitos à instalação, em três estações recentes, mostra como o programa AIT é valioso para as comunidades que atende e como o CeramicSteel superou desafios típicos para transformar as visões em realidade. Como Lee descreve, não é tão fácil quanto podem achar que é. "A arte não é uma ciência absoluta. Ela exige uma certa profundidade e percepção do assunto que só pode ser alcançada com uma ligação qualificada entre o artista e o prestador de serviço principal." Lee observa que essa conexão é gerenciada de forma delicada por Goh e por Vincent Lee e Tan Swee Lin, da LTA, que gerenciam as obras de arte e o programa AIT.

Estação Bendemeer

"And a New World", da artista de mídias mistas e gravuras Cristene Chang, reúne as muitas culturas e interesses cruzados encontrados nas regiões de Kallang, Lavender e Jalan Besar, onde se encontra a estação Bendemeer. Para realizar uma pesquisa etnográfica, Chang caminhou pelos bairros da região, observando sua cidade com novos olhos. Suas fotografias pessoais de arquivos arquitetônicos, padrões, cores e motivos de toda a região são incorporadas diretamente na obra, fazendo com que o trabalho ofereça autenticidade e relevância para as pessoas da região.

Chang descreve sua obra como uma "obra de arte de mídia mista contendo as técnicas de gravura, pintura, costura, colagem e tecidos sobrepostos". Uma obra complexa exige materiais complexos. Lee explica que esse foi o principal motivo pelo qual CeramicSteel foi escolhido para o projeto. "As complexidades da arte exigiam precisão, por isso painéis leves foram escolhidos."

  • Cada tema na obra de Chang representa um elemento da região. O hibisco de cinco pétalas, conhecido como Bunga Raya em malaio, é popular no batique e significa alegria e celebração. A renda francesa é uma referência à cultura europeia presente na área de Jalan Besar e representa delicadeza e refinamento.
  • Cada tema na obra de Chang representa um elemento da região. O hibisco de cinco pétalas, conhecido como Bunga Raya em malaio, é popular no batique e significa alegria e celebração. A renda francesa é uma referência à cultura europeia presente na área de Jalan Besar e representa delicadeza e refinamento.
  • Cada tema na obra de Chang representa um elemento da região. O hibisco de cinco pétalas, conhecido como Bunga Raya em malaio, é popular no batique e significa alegria e celebração. A renda francesa é uma referência à cultura europeia presente na área de Jalan Besar e representa delicadeza e refinamento.

Cada tema na obra de Chang representa um elemento da região. O hibisco de cinco pétalas, conhecido como Bunga Raya em malaio, é popular no batique e significa alegria e celebração. A renda francesa é uma referência à cultura europeia presente na área de Jalan Besar e representa delicadeza e refinamento.

Assim que o Painel de Análise de Arte – um grupo de nove membros indicados pela LTA para fornecer orientação e garantir a qualidade, a integridade artística e a representação de artistas de diversas origens – aprovou o segundo conceito de Chang, ela começou a trabalhar. Fornecendo diversos desenhos à LTA, juntos eles previram alguns desafios. No passado, tons de magenta em outros painéis não ficavam tão vívidos quanto outras cores, e obras de serigrafia não tinham os detalhes que eles esperavam.

CeramicSteel superou as expectativas. Precisando mostrar detalhes finos, a equipe da PolyVision decidiu imprimir digitalmente a arte, em vez de usar o método tradicional de serigrafia. Os desenhos de Chang foram digitalizados em 3D na Alemanha, então duas amostras pequenas foram impressas digitalmente na fábrica da PolyVision na Bélgica para um teste de cores e detalhes. Magenta foi fortemente representada na obra com tanta fidelidade quanto qualquer outra cor, e efeitos bastante sutis, como costura e tecidos sobrepostos, foram transmitidos muito melhor do que o esperado. Mais dessas técnicas artesanais foram acrescentadas à obra, pois o esmalte vítreo destacou com clareza os detalhes do trabalho de Chang. Dois painéis grandes foram produzidos para mais uma revisão antes que os oito painéis restantes fossem entregues e instalados em Singapura.

O resultado final mostra "And a New World" com profundidade e nuance que transmitem a visão artística de Chang e os bairros que representa. CeramicSteel fornece a paleta ideal para a representação emotiva que Chang fez das atividades contrastantes, camadas sociais e o passado e presente da região, proporcionando uma conexão com o lar para ela própria e para os residentes da área.

Estações Tampines leste e oeste

Comunidade. Esse foi o objetivo principal para Jing Quek, o artista contratado pela LTA para produzir a obra de arte para as estações Tampines leste e oeste. Basta olhar para a enorme imagem composta de fotografias individuais de cidadãos locais e da arquitetura da região para ver claramente que ele alcançou seu objetivo.

Para desenvolver seu conceito, Quek começou pesquisando imagens de Tampines, uma cidade urbana em Singapura. Inspirando-se em fotografias históricas e fotos de grandes grupos, ele teve a ideia de criar grandes fotos panorâmicas repletas de marcadores de locais que os residentes reconheceriam, além de imagens dos próprios residentes. Para que os cidadãos locais participassem, ele criou panfletos descrevendo a sessão de fotos e sua intenção de ter os moradores como suas "estrelas". Pedindo para que as pessoas fossem com suas roupas normais para capturar a Tampines real, Quek fotografou 250 pessoas para cada local.

Grandes painéis coloridos acrescentam um elemento de grandeza enquanto os moradores andam nas escadas rolantes de Tampines oeste.

Grandes painéis coloridos acrescentam um elemento de grandeza enquanto os moradores andam nas escadas rolantes de Tampines oeste.

Enquanto Quek estava fotografando seus modelos, os prestadores de serviço do projeto estavam decidindo qual material exibiria seu trabalho. A peça não podia ter encaixes visíveis entre os painéis para que as características faciais fossem fluidas, parecendo uma fotografia contínua. Ela também precisava mostrar detalhes nítidos, para que até as menores das fotografias pudessem ser reconhecidas. Além de CeramicSteel fornecer uma imagem fluída em vários painéis, a equipe da PolyVision imprimiu digitalmente o trabalho de Quek, evitando o desbotamento decorrente de um processo de impressão de tinta a laser.

  • A obra de Quek mostra 250 moradores de Tampines e pontos turísticos da região nas estações leste e oeste.
  • A obra de Quek mostra 250 moradores de Tampines e pontos turísticos da região nas estações leste e oeste.

A obra de Quek mostra 250 moradores de Tampines e pontos turísticos da região nas estações leste e oeste.

Para iniciar o processo típico de instalação, uma pequena parte da obra de arte é ampliada a uma escala de 1:1 e é feita uma impressão de teste. Amostras de 1,1 mm x 600 mm são aprovadas ou envidas de volta para reimpressão com edições. Sabendo que a obra de Quek era muito detalhada, a equipe da PolyVision decidiu não usar o processo normal, produzindo a amostra em painéis grandes (3.000 mm x 1.100 mm). Isso permitiu que Quek avaliasse melhor se a obra completa ficaria como planejada. Esses painéis foram aprovados e a produção começou.

A experiência e a capacidade da PolyVision, além do alto nível de confiança com o LTA e um processo sem problemas com arquitetos e prestadores de serviço, proporcionaram um resultado final com o qual a equipe ficou feliz. Trinta e oito painéis, cada um com 1150,84 mm x 3000 mm para que tivessem as proporções perfeitas da imagem, mostram uma Tampines autêntica que representa a cidade para os visitantes e habitantes locais.

Art in Transit cria cultura

O programa AIT beneficia as comunidades de Singapura de diversas formas. Artistas jovens e desconhecidos têm a oportunidade de mostrar seu trabalho a milhões de pessoas. O programa preserva tradições, arquitetura e símbolos do passado, compartilhando-os com uma nova geração. Como Goh descreve, o programa AIT "mostra a tradição e a cultura da região, criando um legado artístico que será apreciado por milhões de cidadãos e visitantes de Singapura por gerações".

O engajamento com os cidadãos e o diálogo dentro das comunidades têm ido tanto sucesso e alcance que a LTA se uniu à Art Outreach, uma organização local sem fins lucrativos, com a missão de conectar pessoas que não têm contato constante com a arte, realizando exposições por toda a cidade. Juntos, eles oferecem passeios a pé do AIT, onde um guia compartilha as narrativas das obras de arte e explica como as peças foram produzidas. Mais de 10 pessoas fizeram o passeio a pé.

O programa AIT é um exemplo dos talentos e valores de Singapura, mostrando a crença que a cidade tem de que a arte deve ser integrada à vida e de que ela não é um luxo somente para a elite. O programa combina arte e arquitetura, realidade e surrealismo, passado e futuro. Goh resume o significado do programa AIT dizendo que ele "injeta arte em todas as partes de nossas atividades diárias, e serve para gerar uma sociedade mais polida com o tempo ao tornar o conceito de arte disponível a todos. Como as estações são pontos de transporte essenciais usadas por milhões de pessoas de diferentes origens todos os dias, o programa AIT é uma forma eficaz de alcançar uma comunidade maior e mais diversa, além de incutir um senso maior de orgulho cívico".

Comentários


  1. John diz:

    18 de abril de 2018, às 4:08 p.m.

    Que ótimo artigo! Eu não consigo imaginar uma demonstração melhor para que o mundo saiba mais sobre o produto, suas vantagens, sua filosofia e sobre as escolhas consistentes feitas por especialistas na área. Eu também sei que foi necessário muito esforço (de muitas pessoas) para garantir que as intenções e objetivos fossem alcançados e que o comprometimento e obrigações fossem mantidos em um nível consistente. Ótimo artigo, Ashley. Você forneceu o "elo perdido" para fazer isso ser conhecido por um público maior.


Deixe um comentário