As escolas estão mudando para proporcionar o aprendizado ativo dos alunos


O modelo tradicional de aprendizado que exige que os alunos sentem-se em silêncio e escutem mudou completamente. Os alunos estão deixando de ser pupilos passivos que veem os professores apresentando informações para se tornarem participantes ativos que tomam controle do aprendizado. Inovações tecnológicas, a mudança nos requisitos do mundo do trabalho e pesquisas sobre o ambiente de ensino estão culminando em uma nova fronteira ativa na educação.

Uma nova era criativa

Antes da internet, os professores estudavam durante anos para desenvolver um nível de especialização em informações para passá-las às gerações mais jovens. Agora, com tempo e determinação suficientes, podemos aprender quase qualquer coisa no Google. Esse compartilhamento democrático de informações nivelou a área do aprendizado. Qualquer pessoa em qualquer lugar com uma conexão de internet pode perseguir seus interesses e aprender novas habilidades.

Grupo de alunos reunido em círculo olhando para um aluno apresentando informações no whiteboard de sala de aula

Nossa rede global também torna o trabalho mais interconectado e complexo do que nunca. Concorrentes podem inovar em seus setores do outro lado do mundo e startups podem derrubar gigantes com modelos de negócios inovadores. Com novos desafios, chegam novas demandas. Os empregadores querem contratar talentos com habilidade do século 21 – como adaptabilidade, comunicação, criatividade e inovação – para resolver problemas exclusivos que as empresas enfrentam hoje em dia. Essas habilidades exigem uma nova educação que nutra o aluno como uma pessoa holística, em vez de fazê-lo dominar vários assuntos.

A tecnologia modifica o aprendizado

Além da internet, tecnologias de gravação de vídeo se tornaram mais difundidas e fáceis de usar do que nunca. Combinados, o acesso à internet e os recursos de vídeo criaram uma nova pedagogia - o aprendizado invertido. Em vez de assistir às aulas em casa e praticar em casa, os alunos assistem a aulas pré-gravadas por professores em casa e praticam os métodos com atividades práticas e colaborativas na classe.

Dois alunos sentados em cadeiras móveis conversando com uma mulher em frente a um whiteboard com texto escrito

Esse método, como o acesso universal à internet, torna o aprendizado mais igualitário. Não importa o ambiente domiciliar ou suas obrigações fora da sala de aula, todos os alunos recebem a mesma assistência dos professores ao aprenderem o material de forma ativa. Se eles tiverem dúvidas ou dificuldades, isso é resolvido imediatamente, o que não apenas incentiva os alunos e oferece um ambiente seguro para eles, como também acaba com a frustração pela qual muitos passam quando tentam aprender um novo material por conta própria.

O aprendizado invertido é um aprendizado ativo

Informações grátis e difundidas e a ascensão criativa do trabalho mudaram substancialmente a função do educador e do aluno. Em vez de guardiões da informação, os professores são procurados para orientação e instrução. Os alunos agora são responsáveis por serem buscadores ativos de conhecimento em vez de absorvedores passivos. Para cumprirem esses novos papéis e inverter o modelo de aprendizado, as salas de aula tradicionais precisam de uma transformação. Fileiras de carteiras fixas não são condutoras para o aprendizado ativo dos alunos. Professores e alunos precisam de ambientes de aprendizado ativo que possibilitem o movimento fluido, forneçam um espaço para a exibição e discussão de ideias e facilitem o trabalho em grupo.

Espaço de colaboração com whiteboard do chão ao teto, espaços de armazenamento, uma mesa com cadeiras laranjas brilhantes e uma tela de projeção.

Estudos mostram que quando os alunos aprendem em uma sala de aula invertida, seu desempenho e engajamento aumentam. Além disso, a ênfase na colaboração promove mais interação entre os alunos e com seus professores. O trabalho em grupo nas escolas prepara os alunos para o mercado de trabalho, onde muitos projetos são concluídos por equipes multidisciplinares. Isso também os ajuda a evoluir as habilidades de comunicação e resolução de problemas.

Uma ascensão ativa

A tendência do aprendizado ativo está crescendo em todo o mundo. De acordo com uma pesquisa feita pela SOPHIA Learning em 2012, o número de professores que tinham implementado um aprendizado invertido era de 48%, em comparação com 78% apenas dois anos depois. A Steelcase Education colaborou com muitas universidades e escolas de ensino médio para criar ambientes de aprendizado ativo por todos os Estados Unidos e Europa, como o Institut International de Lancy em Genebra, Suíça, a Texas A&M University e a Universidade de Ciências Aplicadas (UAS) em Munique, Alemanha. Todas essas salas de aula têm um elemento em comum: mobilidade.

Três alunos com laptops reunidos em torno de uma mesa prestando atenção a um garoto apresentando um trabalho no whiteboard

O dr. Klaus Kreulich, vice-presidente da UAS, disse que a melhor coisa sobre as novas salas de aula de aprendizado ativo é a flexibilidade. "Ter flexibilidade em uma sala de aula, dando ao professor a oportunidade de agir mais como um instrutor do que como um professor, é muito importante, na minha opinião. Isso significa que os alunos trabalham juntos e conversam juntos. Eles se tornam ativos. Eles deixam seu papel como ouvintes e se transformam em pessoas ativas."

Uma forma de obter mais flexibilidade é com mobília movimentável. Em breve, a PolyVision lançará um novo whiteboard móvel. O quadro de dois lados a3 CeramicSteel oferece uma superfície colaborativa móvel, permitindo que os alunos e professores personalizem a configuração da sala de aula sob demanda. Vários quadros móveis colocados lado a lado criam uma área de exibição para grandes sessões de brainstorming, enquanto que quadros individuais são ideais para grupos de discussão menores.

Torne o aprendizado ativo

Para ver um aumento no engajamento dos alunos, no desempenho e na prontidão da força de trabalho, a educação precisa evoluir. Educadores de todo o mundo estão adotando as pedagogias de aprendizado ativo e aprendizado invertido para atualizar a educação para os padrões do século 21. Com a integração de tecnologia e mobilidade, os alunos podem aprender de formas engajadoras e desenvolver as habilidades de que precisam para o futuro.

Deixe um comentário