A arte pública inspira a criatividade humana


Paris tem a Torre Eiffel, Chicago tem "The Bean" e Hong Kong tem o Buda Tian Tan. Grandes instalações de arte podem se tornar símbolos icônicos de comunidades e sua cultura.

Paris tem a Torre Eiffel, Chicago tem "The Bean" e Hong Kong tem o Buda Tian Tan. Grandes instalações de arte podem se tornar símbolos icônicos de comunidades e sua cultura. A arte pública em qualquer escala, concluiu John McCarthy no Journal of Urban Design, pode contribuir para um tipo de "criação de lugares" que vai fazer crescer um elemento criativo, atrair investimentos, cultivar a unidade social e melhorar a qualidade da vida dos moradores. Novas instalações de arte pública estão surgindo de suas comunidades locais e trazendo significado de forma vibrante e duradoura.

"A arte pública relaciona-se com a vida urbana de muitas maneiras profundas, formas que representam significado, memória, empoderamento social, valores intangíveis e ação sempre presente para a criatividade humana que pode ou não ser imediatamente visível no nível da rua", escreveu Pamela Jo Landi para ScholarWorks @ UMass Amherst.

Biblioteca de Minnesota: Sectio Aurea

 

Centenas de painéis foram criados nos tamanhos e ângulos desejados e foram meticulosamente recortados e identificados pela PolyVision para que o instalador soubesse exatamente onde cada um devia ir.

Em um subúrbio movimentado de Mineápolis, Minnesota, o Hennepin County Library System usa arte pública como uma poderosa promoção de descoberta e aprendizagem. Como parte de um novo edifício, a biblioteca convidou artistas a criarem um mural panorâmico e interativo que refletisse as pessoas entrando e saindo da biblioteca e as convida a interagir com o aprendizado nas páginas dos livros da biblioteca.

O mural lenticular, Sectio Aurea, permite aos espectadores descobrir duas peças de arte interativa. Cada um dos 331 painéis a3™ CeramicSteel exclusivos e revestidos digitalmente por imagens se desdobram como um acordeom. Você caminha em uma direção e as imagens vistas são globais – impressões digitais, arte mundial, fósseis antigos e galáxias em espiral. Vire-se e caminhe de volta para o outro lado, e os assuntos serão locais: plantas indígenas, bordados Hmong, imagens biomédicas e correntes de Foucault do Rio Mississippi. A experiência é como andar por prateleiras de colunas de livros coloridos, com suas páginas cheias de conhecimento.

O RE:site, um estúdio de Houston que cria obras de arte no contexto do espaço público, criou essa obra trabalhando com PolyVision CeramicSteel, e Designtex, ambas empresas Steelcase, além da Metalab, uma agência de gestão de arte pública. Os artistas escolheram trabalhar com CeramicSteel porque sabem que a superfície resistente a UV e o processo de impressão especial desse material durável manterá seu trabalho vivo e durável. A Designtex usou seus conhecimentos para garantir que as obras de arte fossem impressas com êxito na impressora de última geração da PolyVision na Bélgica, e a Metalab realizou a instalação. O mural resultante é uma metáfora de descoberta e aprendizagem, cada painel tratando de um assunto a descobrir, assim como um livro revela um aprendizado rico.

"Esta grande obra de arte utiliza o movimento para ligar local e global, passado e presente", diz Norman Lee, artista e cofundador do RE:site.

Calçadão beira-rio de Tampa: Woven Waves

 

Instalada no calçadão beira-rio de Tampa, na Flórida, a obra Woven Waves evoca uma "colcha de retalhos" que "costura" as diversas comunidades multiculturais de Tampa.

RE:site, PolyVision, Designtex e Metalab se uniram para outro projeto em Tampa, Flórida. Em um esforço para transformar as populares margens do rio em uma área mais ativa e com mais pedestres, a cidade de Tampa autorizou obras de arte no calçadão beira-rio. Inspirada na correnteza do rio e na rica história da região, a obra Woven Waves evoca uma "colcha de retalhos" que "costura" as diversas comunidades multiculturais de Tampa.

Estação ferroviária do Colorado: Chromatic Harvest

Arte conceitual da instalação "Chromatic Harvest" no Colorado

A obra "Chromatic Harvest" é outra parceria entre o RE:Site e a PolyVision. Sua instalação na estação ferroviária Arvada Ridge, no Colorado, está programada para a primavera de 2017.

Mais projetos de arte pública já estão em andamento. A obra Chromatic Harvest está programada para instalação na primavera de 2017 para levar a arte aos cidadãos da estação ferroviária Arvada Ridge, em um subúrbio de Denver, Colorado. O RE:Site descreve a obra de arte como algo que conecta o passado da região com o presente e o futuro, usando temas de agricultura e movimento. Os painéis a3 CeramicSteel "dobrados" da PolyVision serão integrados na estação ferroviária para permitir que o próprio movimento do telespectador se torne parte de como ele percebe a obra. Tudo isso faz parte do programa Art-n-Transit do departamento de transporte regional de Denver, que inclui arte pública em mais de 45 estações ferroviárias e terminais de ônibus em toda a área metropolitana de Denver.

Como a arte pública existe no âmbito público, o artista tem de levar em consideração os parâmetros físicos ou ambientais em relação à segurança pública e integridade estrutural. Isso significa trabalhar em estreita colaboração com os arquitetos, paisagistas, engenheiros e empreiteiros. Esta é uma razão pela qual as empresas RE:Site, PolyVision, Designtex e Metalab trabalharam juntas em uma série de projetos bem-sucedidos.

"Arte pública diz respeito a conectar as pessoas com seus arredores ou comunidade de uma forma significativa", explica Lee. "Cria um senso de descoberta porque as pessoas se deparam com essa arte quando menos esperam. Acredito que a arte pública tem o poder de fazer as pessoas darem uma pausa durante suas vidas ocupadas e viverem no agora, conectando-se de fato com o ambiente ao redor".